Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

27
Ago15

Como entrar na água em 6 passos: Maria Style

Maria das Palavras

A época balnear ainda não acabou e sei que os milhões de pessoas que me seguem (ok, as cinco pessoas que me seguem) estão ansiosos para saber a forma correta de se entrar num mar frio (até porque eu sou da zona centro e levo uma vida a praticar). Portanto, para quem não tem a sorte de se banhar nas praias das Caraíbas, aqui fica um guia muito próprio.

 

Pessoas na Praia - Maria das Palavras (PIxabay image)

 

Imaginem que chegam à praia cedinho, o Sol já se apresentou, os seus amigos querem ir à água e uma pessoa também alinha, mas tem alguma dificuldade em entrar de rajada. Siga estes 6 passos para entrar na água - Maria style: 

  1. A contemplação. Contemple o mar demoradamente enquanto questiona a sua capacidade de entrar na água gelada (leia-se: abaixo de 30º). Nesta fase é ocasional que as ondas tentem aproximar a água de nós e é essencial dar saltinhos ridículos para trás para não chegar a sentir a verdadeira temperatura da água, nem numa ponta do polegar. Leve todo o tempo que precisar. Tome atenção à sua envolvente, evitando crianças-chapinhadoras.
  2. O impacto. Molhe os pés e deixe-os de molho até que deixem de lhe doer os ossos (sabe o que é isto se se banha da Nazaré para cima). 
  3. A Habituação. Avance lentamente até a água fria alcançar a primeira zona de perigo situada entre a bacia e o umbigo. Lembre-se: o mundo será um lugar melhor assim que a sua cintura se ajustar à vida debaixo do mar. Nesta fase verá várias pessoas a chegar e mergulhar de rajada, salpicando-a instantâneamente. Não tema e aceite os salpicos como parte do processo de facilitação e entrada.
  4. O avanço. Dê passos pequenos enquanto se vai pondo em bicos de pés (adiando estupidamente o impacto da água em mais meio centímetro de pele) e suba os braços, dobrados pelos cotovelos acima do nível dos ombros e de mãos caídas, ao melhor estilo galinha-poedeira, avançado no mar. Não se esqueça de fazer cara feia. Quanto mais feia, mais o frio passa. Impropérios susurrados podem ajudar também. 
  5. O encosto final. Neste ponto já molhou as mãozinhas mas continua com os braços todos levantados em cima da linha da água e não desfez os bicos de pés. Respire fundo, tome balanço, limpe a sua mente e deixe que a zona difícil nº2 seja impactada pela água: a combinação ombro-sovaco. Mergulhe a cabeça de uma vez, se for necessário: pode ser que o cérebro congele e deixe de saber o que é o frio.
  6. A benção. Aguarde 2 minutos movendo-se freneticamente debaixo de água até se sentir confortável.

 

Ao concluir os seis passos o mundo tornar-se-á um sítio melhor e pode relaxar e divertir-se à vontade - fez por merecê-lo! É ainda importante manter a calma e resistir ao posterior gozo dos seus amigos, que entretanto foram almoçar, voltaram, jogaram Uno, bronzearam-se, mergulharam dez vezes, acabaram de ler a Anna Karenina e voltaram para casa. O importante é que conseguiu! Agora dê meia volta que já não são horas de estar na praia, vá. 

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

35 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D