Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

09
Fev15

Conheci o Super Adepto

Maria das Palavras

Ontem foi um prazer ver este senhor a assistir ao dérbi ao vivo - foi muito mais animado que o dérbi em si, posso garantir. Como dizia o da peça de Shakeaspere: tanta veia no corpo, como é que não lhe rebenta uma?

Ao contrário do estereótipo sportinguista, o homem gritou e fez coregrafias esbracejadas à Jorge Jesus durante todos os santos minutos de tempo útil de jogo + compensação + intervalo. Julgo, até, que estaria a esbracejar já desde o pequeno almoço e sugiro que contratem o homem para agitar bandeiras nas claques - nunca esmoreceriam. 

 

Ao longo do jogo fui ainda percebendo que ele tinha capacidades especiais. Era uma espécie de super herói ou guru da tecnologia. Só isso explica...

Super Adepto

 

Querem provas?

 

1) Mesmo de lá do topo do estádio onde podia estar a Júlia Pinheiro a falar e no relvado não se ouvia nada, ele gritou, gritou, gritou. Deu indicações aos jogadores, aos árbitros, aos agentes que vigiam o jogo...enfim. Eu própria sou capaz de um inconsciente e visceral grito ao género "chuta meireles", mas é coisa de impulso, compreendo que o "Meireles" do momento não está de facto a ouvir e portanto não insisto. Isto faz-me pensar que este super-adepto era possuidor de uma qualquer tecnologia, uma espécie de micro-transmissor, que replicava os seus berros sábios junto do ouvido dos destinatários de cada mensagem. Isso ou hoje está sem voz por nada. O que é parvo.

 

2) Por último, era dono de uma capacidade, acuidade, definição visual de espantar! Repito: ou é super-herói ou acede a tecnologias de ponta e tinha uma câmara com zoom na córnea. Do ponto onde estávamos todos os jogadores pareciam massas de larva vermelhas ou às riscas verde e brancas, a deslocarem em slow-mo de um ponto ao outro. Mas o sacana via mais e melhor. Que eu, que o senhor da primeira fila, que o árbitro, que o próprio jogador. Ele gritou por aquele pénalti como uma carpideira entusiasmada, porque sabia - SABIA - que a bola tinha de facto sido defendida com o a unha do dedo indicador esquerdo daquele jogador.

 

E pronto, não lhe pedi um autógrafo por medo - aquela questão das veias a rebentar. Mas tive um prazer danado em conhecer (a uma distância segura) o Super Adepto.

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

5 comentários

Comentar post

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D