Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

09
Jan17

Mitos blogueiros: ter parcerias é falar sempre bem!

Maria das Palavras

blogpost.jpg

 

Não tenho muitos anos de blogger, nem muitas parcerias, mas uma coisa eu sei: não é preciso mentir aos leitores para ter parcerias. Primeiro, porque não vivem fechados em caves sem eletricidade e sabem que a publicidade em blogs existe, seja paga com dinheiro ou com ofertas - e não vale a pena ofender quem lê, escondendo o que realmente é. Segundo, mais depressa se apanha um blogger mentiroso que um coxo. Terceiro,  a publicidade ou a divulgação, se feitos com jeito e moderação acrescentam valor aos blogs e os leitores beneficiam disso. Quarto (se as outras não vos convenceram, estas tem de vos convencer): as marcas procuram essa honestidade.

As marcas que trabalham com blogs procuram influenciadores de opinião. Um influenciador de opinião tem de (já diz o nome) ter opinião válida e credível. Imaginem o que acontece quando a sua opinião é sempre super positiva com borboletas a esvoaçar? Exato. Acabou-se a credibilidade. Acabou-se o poder de influenciar.

 

Separador texto


Nem todas as marcas procuram honestidade (é certo) mas querem mesmo trabalhar com essas? No manual de um bom blogger que tenha algumas parcerias (seja com a Florista Ramadal da esquina ou com a Coca-Cola internacional) devem constar as seguintes regras, com as quais estas devem concordar previamente:

- Ser honesto com os leitores acerca da parceria (mencionar se foi um convite, uma oferta ou marcar o post como parceria ou publicidade – usem as tags, por exemplo)

- Poder dar a sua opinião de uma forma aberta e não censurada.

 

Idealmente também não se fazem parcerias para falar mal, claro. Mas há alguns truques para aumentar a taxa de posts de parcerias que são positivos:

 

1.

Aceitar ou procurar parcerias apenas de produtos/serviços com que te identifiques ou já uses (ou gostasses de experimentar). Tipo eu com a Odisseias (match made in heaven).

2.

Se houver oportunidade de escolher, dentro do leque da marca, aquilo que gostarias de experimentar, melhor. Por exemplo: um livro. É sempre mais fácil gostares se fores tu a escolhê-lo.

3.

Há mais do que uma maneira de dizer as coisas. Podes sempre apontar o que não gostaste e depois contrabalançar com os pontos positivos. Ou simplesmente ser honesto sem ser cáustico. Não precisas ser brutalmente direto e dizer (imaginemos que era uma bebida) que só te parece boa para limpar canos. Podes dizer só que não ficaste fã. Ponto.

 

Prometo (armada em grande blogger) que seguindo estas normas, continuo a ter marcas a querer trabalhar comigo, mesmo depois de reviews que apontam defeitos ou não dizem: é o melhor produto de sempre!! E não sou a única. Algumas agradecem o feedback para melhorarem, outras agradecem a sensação refrescante que é não ter o pessoal só a fazer AMÉN a tudo, e que torna menos credíveis as críticas que são de facto muito positivas.

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

6 comentários

Comentar post

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D