Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

30
Mar16

Partilhar passatempos ou não: eis a questão.

Maria das Palavras

Imagem Flickr via www.gotcredit.com

 

Quem falou disto foi a Língua Afiada e eu senti que podia ter escrito aquele post, que fala do inconveniente da partilha pública do passatempo e do "porque raio toda a gente tem de ficar a saber o que ando a tentar ganhar". Só que a verdade é que já fiz passatempos cá no tasco (a decorrer ainda aliás - este para o pack Odisseias e este para o bilhete familiar para a peça de teatro Cinderela) usando essa lógica da partilha do post. Eu explico, usando o comentário que lhe deixei (editado).

 

 

Como participante concordo em absoluto. Não gosto de partilhas de passatempos. Houve um tempo da minha vida em que participei em muitos passatempos e punha sempre esses de lado (a não ser que fosse uma oportunidade mesmo incrível).

No espírito da coerência, quando fiz os primeiros passatempos no blog fi-los da forma que mais gostava de participar: com frases, sem obrigatoriedade de partilhar nada. Conclusão: umas 20 participações.
O primeiro que faço nesse sistema mais frequente na blogosfera, com gosto/partilha/formulário: pumbas, participações às carradas. Centenas.

Parece que as pessoas não se importam (muitas não se importam) e preferem isso do que ter de puxar pela cabeça por um pote de creme (eu percebo, para mim - para bloggers e mais algumas pessoas - escrever é uma coisa mais natural, mas muita gente não engraça com isso).

De qualquer forma podia ter usado esse esquema sem a parte da partilha. Podia. Agora mais honestidade ainda: claro que isto dos passatempos não é só pela generosidade (nem do lado, da blogger, nem do lado da marca) e por mais que se queira sim oferecer alguma coisa com muito gosto (e adoro poder fazê-lo), há sempre outra finalidade que é a visibilidade, senão oferecia-se ao primeiro que aparecesse em vez de fazer um passatempo. Ou oferecíamos o frasco de verniz a uma amiga nossa. 
A partilha faz com que mais gente veja o passatempo. Gente que nunca teria contacto com ele de outra forma, porque não é seguidora do blog. Mesmo que menos gente participe, mais gente fica a par dessa possibilidade e pode decidir fazê-lo ou não. Depois uns até vão ficar a gostar (da marca ou do blog) e a maior parte provavelmente não, porque nem vê mais nada que não seja o post do passatempo. Mas nós tentámos. Dissemos olá. E isto de ter um blog - como estou farta de insistir - deve fazer-se pelo gosto na escrita independentemente do número de visitas e comentários ou brindes e afins, mas claro que gostamos de dizer "olá" a muita gente. E receber um "até já" de volta.

Como digo, compreendo perfeitamente a aversão à partilha...mas depois vai-se a ver e...as pessoas até preferem assim do que a forma que eu preferiria. 

 

Ou seja: sim, é uma grande chatice esta coisa da partilha e em termos teóricos eu também preferia não o fazer. Sim, pode fazer spam se se juntarem à esquina os "promotores de passatempos em série" com "participantes de passatempos profissionais". A verdade é que a "publicidade forçada" pode chatear terceiros, mas isso só acontecerá se estes não estiverem interessados no que está a ser oferecido - e aí é só ignorar. Também pode interessar a terceiros. Sim, estamos a divulgar uma coisa que às tantas preferiamos deixar para nós...mas também é uma partilha de um passatempo, vamos lá, não da declaração do IRS...

Na prática, acaba por trazer vantagens para todos: para a marca que tem mais visibilidade, para o blog que chega a gente nova, para quem gosta de participar porque - se blogger e marca estão contentes - é provável que a seguir venham mais passatempos (possibilidades de ganhar qualquer coisa) e para os amigos dos participantes que também ficam a saber que podem ganhar qualquer coisita ou podem ficar a conhecer outro blog que gostem (ou alimentam só a sua veia cusca, pronto). 

 

Eu sei que me entendem. Como eu entendo quem não quer partilhar passatempos. Hei-de experimentar também sem partilha e ver a diferença na adesão um dia destes (assim haja mais coisinhas boas para sortear). De resto, participa só quem quer. Notando que tudo seja feito com conta e medida. [Decidi acabar o texto com clichés, paciência...]

 

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

18 comentários

Comentar post

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D