Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

12
Set17

Uma foto da semana, se me der na gana #10

Maria das Palavras

mariadaspalavrassaomateus.jpg

 

Aqui estou eu em Viseu, na Feira de São Mateus. Despenteada, cansada, esfomeada e farta de dizer HBM em vez de HMB - ou vice-versa. Estou, aliás, a virar costas à banda para procurar uma bifana com mostarda e o tal gelado de baunilha e morango. Ainda não tentei convencer o Moço a andar comigo naquela diversão alta que põe as pessoas de cabeça para  o ar, mas já sei que ele me vai dizer que não. E esta foto vem mesmo antes da foto em que fiquei de cara fula a dizer "não vens?". Ficou para trás, a tirar-me esta fotografia.

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

14
Mar17

Uma foto da semana, se me dar na gana #7

Maria das Palavras

Caminhos de ferro - Foto Maria das Palavras

 

[A foto tirei-a na linha de comboio desativada da minha nova terra. Não podia ser mais cliché, nem menos prevista. Se naquela meia-noite em que nunca como passas me tivessem dito que poucas semanas depois estaria a morar a 300 quilómetros dali rir-me-ia como se tivesse bebido demasiado champanhe. E afinal era eu que – uma e outra vez – não sabia nada da vida. E andava a fazer e a assumir planos como se pudesse saber. A única coisa que podemos definir quanto ao nosso caminho é como vamos querer pisar as mudanças que surjam nele. Porque dizer qual será está fora do nosso alcance.]

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

30
Dez16

9 Fotos do meu Instagram em 2016

Maria das Palavras

bestnine_2016.png


As bolachinhas de Halloween que fiz no workshop de bolachas e bicoitos da MyCakeStore com a Odisseias. Eu pasmada a olhar para uma cascata no Gerês. O meu cabelinho apanhado como seu eu fosse uma talentosa fashion blogger. O meu tapete de entrada comprado na Zori. Eu em Sintra, minutos antes de assistir ao Romeu e Julieta da Byfurcação. Eu, Natalícia, com a minha árvore ao fundo e um pack Odisseias na mão com as ilustrações da Maria Carvão. Eu, a banhar-me na Portela do Homem. A piscina magníca da Herdade da Sanguinheira (que para mim será eternamente a herdade dos bicoitos de alfazema). A minha agenda do ano novo, oferecida pela Con-Vit. 


Foram as nove fotos que vocês mais gostaram de um total de 219 fotos no meu canal de Instagram @maria_das_palavras (do que estão à espera para me seguirem?). Vejam também os vossos 9 melhores momentos de Instagram aqui (e um obrigada ao blog Maçã de Eva onde conheci este site).  Procurarem #2016bestnine no Instagram (vejam aqui) também é um exercício jeitoso. Há pessoas que têm 9 fotos...de comida. Ou da sua carinha laroca. Ou do pôr do sol. No fundo, é um bocadinho um teste de personalidade. 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

06
Out16

Maria no Workshop de Fotografia

Maria das Palavras

Maria no Workshop de Fotografia Noturna - Experiência Odisseias - Cliquem aqui para saber mais

 

Olh'áli eu com a minha orelha gigante a tirar uma fotografia! Pois é, fiz um workshop de fotografia noturna através da Odisseias com o formador Adalberto Santos, da escola Luz do Deserto. A ideia era aprender a tirar fotos com pouca luz porque, se de dia me safo já com umas funções manuais, à noite ou recorria ao automático ou ficava sempre com as fotos a) desfocadas b) escuras c) cheias de grão ou d) todas as anteriores e mais alguns defeitos. Não quero profissionalizar-me, nem sequer ser fotógrafa amadora, só quero mesmo divertir-me e publicar umas fotos no blog - e isso envolve não ficar frustrada por tirar más fotos à noite. 

Cheguei lá e fiquei muito intimidada. O voucher diz que se pode fazer o workshop até com uma câmara de telemóvel, o que não deixa de ser verdade, mas convém mesmo ter uma máquina e - atenção - tripé. Pelo menos para a fotografia noturna em que se tem de fazer exposições longas é essencial não mover a câmara nenhum milímetro e eu, mesmo sem Parkinson, não sou capaz. Dizia eu que cheguei e fiquei intimidada. Todos tinham o que me pareciam maquinões (com várias lentes e a minha só tem uma mesmo) e só uma pessoa do grupo não tinha tripé (eu tinha o do Moço, para partilharmos). Olhei para a minha máquina mixuruca e pensei: devo escondê-la e dizer que me esqueci dela? Afinal não havia nada a temer. Não era um workshop pretensioso. O formador até elogiou a minha maquininha porque tinha não-sei-quê-de-não-sei-quantos e disse que não era preciso gastar muito dinheiro (vulgo, comprar maquinões) para tirar grandes fotos, porque uma grande parte da fotografia é interpretação. 

 

Saí com dicas muito preciosas, daquelas que não vêm nos manuais. Em teoria eu sabia o que precisava fazer para tirar fotos à noite: abertura de diafragma com valor maior (abrir os olhos) e velocidade de obturação menor (mais tempo a captar), mas na prática faltava-me aplicar bem essas regras. A causa, fiquei a saber, é que devia começar por fixar o ISO (num valor baixo) e depois a partir daí ajustar os restantes valores. Também não estava a dar a devida importância ao balanço de brancos e ao tipo e quantidade de luz a que estava a expor a lente. E se isto for tudo chinês para vós (mas gostam de fotografia) sugiro que comecem por este workshop para terem as noções básicas da coisa. Muitas máquinas permitem mexer nestas definições, no modo manual, e vocês vão ser pessoas menos frustradas com algumas fotos que tiram nas instâncias mais banais se elas ficarem mais bonitinhas. Vão a uma festa de aniversário com toda a gente a tirar fotos e experimentem ser os únicos que conseguem uma decente. Pumbas. Grande sensação. Que o Moço costuma ter, não eu.


Quando fui fazer o workshop a ideia era deixar de usar o modo automático da máquina também nas fotos à noite, mas mais por brio, porque eu estava convencidíssima, que o modo automático faria tão bem como uma boa foto no manual. Errado. Sua burra. Vejam, para finalizar - que o discurso que já vai longo, - as duas fotos seguintes e espantem-se (ou não, que a burra era eu). A primeira tirada no modo automático. A segunda (quase bem) tirada (mas ainda podia fazer melhor) no modo manual. Uau, que diferença na cor (e em tudo), certo?

Workshop Fotografia Noturna (modo automático) - Odisseias | Maria das Palavras

 

Workshop Fotografia Noturna (modo manual) - Odisseias | Maria das Palavras

 

Para vocês ou para oferecerem a experiência a algum amigo que goste de  fotografia procurem os vários vouchers Odisseias de workshops de fotografia aqui. Este foi o que eu fiz. Prometo que vale a pena. Pelo menos obriga-vos a focarem-se na máquina que têm e nas suas funcionalidades e treina-vos para a aproveitarem melhor.



Facebook Maria das Palavras

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D