Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

30
Ago16

Fontana di Bidé

Maria das Palavras

Sabe o que aconteceu àquela moeda que atirou para a Fontana di Trevi? - NiT

 

Claro que eu sou aquela pessoa que já esteve em Roma e NÃO atirou moeda à fonte. Estive lá e é bonito, sim senhor, pelo menos assim que aprendemos a usar os cotovelos para chegar à frente da multidão de turistas e sob pena de aparecer em 30.000 selfies de chineses em 2 minutos. Mas sou menos supersticiosa que um alho francês e não vou de modas. Assim me encontrei na Fontana di Trevi, há uns bons anos, com duas amigas e não quis gastar dinheiro para enferrujar num pedaço de água (logo na cidade onde as moedas se convertem em gelados). Fiquei a tirar a foto enquanto elas atiravam uma moeda para voltar a Roma ou duas para encontrarem o amor. 

 

Se eu soubesse que estava a dar para a caridade talvez tivesse pensado duas vezes em deixar a moeda (talvez não, continua a ser a cidade onde as moedas se convertem nos melhores gelados). É incrível como acho que se soubessem que ia para a caridade (e não para fundar desejos próprios) a maior parte dos turistas não deixava lá tostão nenhum. 

 

Certo é que ao saber que se reúnem 800 mil euros por anos por ter a fonte a correr, estou disposta a abusar da conta da EPAL e fazer este investimento turístico. Vou deixar correr água no bidé e dizer às pessoas que é uma fonte. Quando eu criar a página de Facebook "Fontana di Bidé", vocês façam gosto, ok?

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

15
Set15

Uma viagem vale mais que mil palavras: Cinque Terre

Maria das Palavras

Pensei, antes de ter planeado esta viagem a sério, que não era a melhor altura para concretizar este sonho, por tantas e tão diferentes razões. Mas afinal...haverá alguma altura que seja pouco apropriada para cumprir sonhos? 

Não sei onde foi a primeira vez que ouvi falar deste destino segredado e o botei de imediato na minha check list. Muitos conhecem a Riviera Italiana, mas muito mais não a conhecem. As Cinque Terre são um tesouro, um parque natural considerado património mundial pela Unesco e não estão sozinhas para nos encantar - que a região da Ligúria tem outras surpresas para nos deliciar a vista e a alma. E eu queria mesmo saber se aquelas fotos que o Google e outros blogs me mostravam eram só Photoshop ou eram a realidade.

 

- Vou a Cinque Terre.
- Vais onde?
- A um sítio paradisíaco na costa oeste italiana, onde não há cadeias de restaurantes, nem de hóteis, onde chegas de comboio ou de barco, onde...deixa-me mostrar-te uma foto em vez de explicar.
- UAU.

 

Manarola | Viagem a Cinque Terre - Maria das Palavras

Manarola, em Cinque Terre (e eu, no meu melhor ângulo). Sem uma ponta de um filtro.

 

Itália é oficialmente o país estrangeiro onde conheço mais cidades e não me arrependo um minuto ou um cêntimo disso. A primeira viagem foi com duas amigas, um tour inesquecível de dez dias pelas senhoras-cidades mais famosas do país: Milão > Verona > Veneza > Florença > Pisa > Roma.
Na segunda (que não quero que seja a última), com o Moço por companhia e ainda o comboio como meio de eleição favorito, passamos pelas Cinque Terre (Riomaggiore, Manarola, Corniglia, Vernazza, Monterrosso), mais duas irmãs menos famosas mas igualmente bonitas (Levanto e Portovenere) e a mais conhecida e rica área de Portofino (com direito a passeio desde Santa Marguerita Ligure e pit stop em Paraggi).


Sei que naquele último dia, na última das Cinque Terre,  num último mergulho nas águas límpidas e quentes do mediterrâneo, fiquei muito tempo a olhar para o mar verde primeiro, azulão depois, e ao fundo a serra que se estende em curva com as outras terras. Monterrosso nos pés, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore na vista. Todas no coração.
Fixei o olhar por muito tempo sem querer ir buscar a máquina fotográfica ou o telemóvel. Queria a imagem gravada na memória, mais sólida que a marca de biquini que me ficou no corpo, mais durável que a bateria da máquina, mais resistente que o papel. Quase palpável. 
Registar a certeza que nunca antes tinha estado num sítio tão belo. À exceção - claro e sempre - do meu país.

 

Uma viagem vale mais que mil palavras: Cinque Terre e Cia | Maria das Palavras

 

E agora, travando o impulso de publicar mais mil fotos e um milhão de palavras sobre este destino...dou o texto por encerrado.

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

subscrever feeds