Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

24
Jul17

Continua a ser só uma paixão dos tempo livres.

Maria das Palavras

Mas este blog cresce sem eu dar por isso. Há um ano eu fazia um post feliz da vida porque tinha 300 seguidores no Instagram. Ontem cheguei aos 700. Entretanto ganhei mais 2500 seguidores no Facebook, abri um canal de Youtube (de longevidade dúbia) e mesmo nos meses mais fraquinhos tenho uma audiência superior ao nº de espetadores presentes no Dragão na ultima jornada de 2016/17 (não custou muito, eles facilitaram).

 

Segundo a minha definição muito própria, e mesmo sem jogar na primeira liga dos blogs (ou na divisão de honra), sou uma blogger de sucesso. E a culpa é toda vossa. Que insistem em querer estar por cá.

 

8741067.gif

 

Foi um bom fim de semana. Como vos tinha dito, planeei não fazer nada e assim foi, que estava a precisar. Pus de lado o que devia estar a fazer como se estivesse ocupada com outra coisa. E estive, ocupada comigo, que também é nobre. Lembrem-me de fazer isto mais vezes. No Sábado não fiz nada - sozinha. No Domingo não fiz nada - com o Moço. Dormi, li na praia, vi séries, queimei os ombros a assisitir ao Campeonato Nacional de Voleibol de Praia, fiz panquecas de aveia para o Moço. E dei por mim a parar para pensar em coisas. Nomeadamente algumas. Nomeadamente esta. Obrigada por estarem desse lado!

 

 

Sigam-me por aqui: 

 

          Facebook Maria das Palavras          Facebook Maria das Palavras          youtube-2433301_960_720.png          

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

18
Jun17

A maravilhosa epopeia da blogger que descobriu que ver Youtube faz bem à pele.

Maria das Palavras

cosmetic-1798154_960_720.jpg

 

Foi quase no final do ano passado que o vício do Youtube se me pespegou. Começou pelos vlogs e evoluiu rapidamente para tutoriais de maquilhagem. É fascinante como este ser que vos escreve, uma nulidade em qualquer tipo de trabalho manual (que é o que a maquilhagem também é, se pensarmos bem) se deixou embeiçar por isto. O encantamento com que as ditas vloggers falavam do produto X e Y (fosse patrocinado ao não) era o encantamento com que eu as ouvia – e eu nem os tinha, nem os sabia ou tencionava usar. Perfeitamente inexplicável. 
 
Aos poucos foi-se dando o fenómeno “e porque não?” e passei a experimentar melhor as coisitas que eu tinha lá por casa, coisas que tinha comprado nos saldos da KIKO, essencialmente, com a leve crença que já as sabia usar (e não sabia). Depois comprei algumas que me faltavam. E hoje em dia tenho uma gaveta cheia de tintas e utensílios para besuntar a cara. Nuns campos mais noutros menos (já domino mais ou menos bronzer, iluminador e sombras de olhos, mas continuo a ser zero à esquerda no eyeliner). Portanto, primeiro fenómeno: ver Youtube fez-me aprender a maquilhar melhor – só de me lembrar como eu achava que as sombras se usavam, fico com o blush natural. 
 

Ora, o que aconteceu a seguir? Esta pessoa que tinha sempre a melhor das intenções em relação a cremes e afins, mas nunca os usava mais de três dias seguidos, começou a sentir necessidade de, por besuntar a pele mais vezes, tratar a pele mais vezes. Tirar a maquilhagem, limpar, hidratar. Maquilhar-me mais fez-me tratar melhor a pele da fronha. Ver Youtube fez-me bem à pele. Se antes maquilhar-me um dia e não tirar a porcaria da cara era mesmo só um dia e não fazia mal, agora são vários dias e sinto-me culpada por não tratar da pele como se não lavasse os dentes. 

 
Maquillalia, Fapex, Uriage, Clinique, Nyx, Nars, Urban Decay, Kiko, Sephora e essa tal de Berenice, cheguem-se cá ao patrocínio, se faz favor. É que agora, deixei de ter suores frios só para fechar o site da Mango e da La Redoute e passei a querer-vos bem também.  
 
O certo é que hoje em dia a minha pele está menos oleosa e mesmo “naquela” altura do mês as borbulhas (querem que eu diga espinhas?) são muito menos frequentes. E se sujar a cara foi o caminho para melhor a limpar, pois que seja. Viva o Youtube, caramba.  

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

23
Abr17

Podcast das palavras #1 | A gaffe italiana

Maria das Palavras

Ficou com um título ao estilo da Gaffe, a blogger ruiva mais elegante da parada verde (é verdade, não sou eu), mas é gaffe de asneira mesmo, neste caso. Na verdade, é uma tolice a que dei voz, mas que achei que servia perfeitamente para me estrear no mundo das pessoas que são feias demais para fazer vídeos e só dão o audio. Ahahaha. Estou a brincar, a minha mãe diz que eu sou bonita. E o meu médico das verrugas do nariz também. Chega de conversinha, as regras são as seguintes: 

1) Botam play para ouvirem o podcast no Youtube.

2) Se gostam minimamente subscrevem o canal (se não o fizeram ainda) para eu poder dar um URL decente ao bicho.

3) Se querem o próximo vídeo, no próximo Domingo, sobre "porque não quero casar" o vídeo no Youtube tem de ter 50 polegarzitos para cima. Querem?

 

 

Nota: Só depois de fazer o upload é que percebi que a música de entrada ficou um bocadinho pornostar, mas dêem o devido desconto, sim?

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

28
Fev17

Para onde vamos quando dissermos "vamos para casa"?

Maria das Palavras

Subscrevam - Canal de Youtube Maria das Palavras

 

Quis documentar os nossos primeiros passos na nova terrinha (não vejam terrinha como um termo depreciativo, que não o é). É um vídeo curto que mostra as nossas novas paisagens, descobertas pelo nosso olhar, num primeiro fim-de-semana, em que ainda nem casa temos. Vejam e atentem no pedaço em que conversamos sobre "personagens da terra" - quero saber qual é a da vossa!

 

 
Não deixem de subscrever o canal, se vos interessa minimamente, para eu saber que (se) vale a pena continuar a fazer vídeos. Um bem-haja!

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

09
Fev17

Nem um hater por aí?

Maria das Palavras

Fim de semana em sintra - Ver no Youtube.jpg

 

A unica maneira de uma pessoa que anda aí (numa qualquer rede social ou blog) não ser criticada é: estar quieta. Não opinar, não brincar, não se expor, não fugir à norma. Fazer uma espécie de vlog e publicar cenas do meus dias com o Moço é expor-me mais um bocadinho e portanto estava preparadíssima para os comentários seguintes: 


a) Com essa voz de abacaxi amassado não admira que o Moço tenha problemas nos cristais dos ouvidos. 

b) Ia comentar mas depois de ouvir a tua gargalhada estúpida cortei os pulsos e já só deu tempo para dizer isto. 

c) Este vídeo mostra a tua falta de cultura. Gostava mais de ver um vlog de uma barra de sabão azul. 

d) Se achas que a ida ao Palácio de Sintra é cara é porque não aprecias o teu país. Espero que sejas exilada pelo Marcelo. 

e) O que é que tens contra a Maria José Valério, sua lontra de gorro?

d) A mochila do Moço é estúpida. Como vocês.


Nada disso. Passaram mais doze horas desde a publicação e só tive feedback positivo, opiniões válidas e comentários que me vão ajudar a fazer melhor, se for para continuar. Claro que ainda vão a tempo: se só ainda não mandaram abaixo porque não viram o vídeo, cliquem na imagem e divirtam-se. Vale tudo, que eu estou preparada. E se por um acaso gostarem, então subscrevam para eu saber que querem mais. Só com 100 subscritores no Youtube é que posso dar um URL personalizado ao canal, que é o meu objetivo de vida, ali bem a par de ter saúde. 

 

Sigam-me no Instagram @maria_das_palavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

subscrever feeds