Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

30
Set18

As 3 coisas que devem saber sobre o Duche Vichy

Maria das Palavras

Termas do Luso - Maria das palavras

 

Para quem não sabe ainda - porque comete a terrível falha de não me seguir no Instagram (shame 🔔🔔🔔 shame 🔔🔔🔔 shame 🔔🔔🔔) - este fim-de-semana fomos laurear a pevide para a zona do Luso. No destaque do perfil do Instagram de seu nome LUSO (criativo, hein?) podem desde já acompanhar algumas imagens que não serão aqui publicadas, mas mais à frente também publicarei no blog infomação organizadinha acerca de onde ficámos, onde comemos, o que visitamos e o que achámos. 

 

Facto é que ficámos num palácio onde entre restantes hóspedes e mobília éramos bem capaz de ser as peças mais novas (atenção, que recomendo) e continuando nos programas de pseudo-terceira-idade decidimos (digo eu, como se fosse uma vontade do momento e não algo que tinha planeado há 3 meses quando marquei a estadia) fazer um tratamento termal. No caso, um Duche Vichy, que nunca tínhamos experimentado. Havendo três hipóteses de Duche escolhemos antecipadamente o Duche Vichy com Chuva Hidratante. E sabe Deus como saímos de lá hidratados até ao tutano. 

 

anigif_enhanced-974-1405102320-11.gif

 


Passo já para o fim: adorei o tal do Duche. Não sabíamos ao que íamos, tinha até ideia que poderia ser só eu e uma sala com chuveirinhos a pingar à vez, a fazer o trabalho sozinhos, estilo lavagem-automática, mas com um bocadinho menos de espuma. Nada disso. Pelo menos aquele que escolhemos nas Termas do Luso. Resumindo muito é isto: uma senhora dá-nos banho. Sim senhor, temos os aspersores a pingar, que ela vai dirigindo para uma zona ou outra, mas ao mesmo tempo ela vai esfoliando e massajando o nosso corpitxo ao longo de uma meia-hora. Isto tudo numa espécie de maca-banheira, primeiro virados para cima, depois para baixo - mas não se preocupem, é uma banheira baixinha, que não permite o afogamento quando estamos virados para baixo com a cabecinha no seu descanso próprio.

 

Tenham então três coisas em mente ao avançar para um Duche Vichy:

 

1. Esvaziem bem a bexiga antes. Não só a massagem completa pode causar apertos na zona abdominal para os mais incautos, como - e mais importante - vão ouvir água a correr durante 30 minutos seguidos. Sabem quando dizem que estão aflitos e alguém maroto faz SSSSHHHHH? Isso. Sem parar. 

 

TemptingBarrenAustralianshelduck-max-1mb.gif

 

2. Vá, não sejam tímidos. Assumam que alguém vos vai dar banho. Basicamente temos direito ao tratamento que os bebés têm quando são pequeninos e os pais têm de os banhar, mas com mais noção do relaxamento que isso pode dar. E com mais chuveiros. E a mãe também está de fato-de-banho. E tem umas mãos mágicas que conhecem os pontos de pressão. E a sala está alagada, mas é porque é suposto e não porque não parámos quietos com os pés e chapinhámos tudo (eu chapinhei um bocado, porque tenho muitas cócegas nos pés).

 

3. Se não lavaram atrás das orelhas, no buraquinho do umbigo ou no interior da alma...não temam. Depois do Duche Vichy, entre a esfrega da esfoliação com massagem, e os jatos de água em todo o lado, não há mofozinho que sobreviva no vosso corpo. O que sei é que comecei por olhar a rapariga do tratamento como inocente massagista e saí como se partilhássemos um segredo obscuro.

 

Não sei se disse, mas a seguir a mim ia o Moço - e eu deixei-o ir, o que prova que não sou ciumenta. Só tive tempo de o avisar baixinho: é uma massagem mesmo muito completa. 

 

 

 

[Note-se: foi um tratamento delicioso e recomendável, feito por uma profissional (assistida pelos seus chuveirettes), de forma profissional. Já fizemos muitas massagens em locais diferentes com tipos de sensações diferentes envolvidos - pedras quentes, aromáticas, óleos e afins - mas este de água do Luso, com as mãos hidratadas da menina, fica sem dúvida no nosso top. Não vos dê o meu relato, que pretende ser divertido, liberdade ordinária criativa.]

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

05
Dez16

A massagem da manta felpuda

Maria das Palavras

Não, não é uma metáfora ordinária. Estou só a pôr em evidencia no título uma das coisas que mais gostei na massagem que fizemos a dois na Wonderfeel, através da Odisseias. Não foi a única. A primeira coisa que gostei foi a decoração do espaço de entrada e a segunda foi terem uma caixa de mensagens para tirarmos à sorte, ao melhor género bolinho-chinês.

 

Wonderfeel - Experiência Odisseias - Maria das Palavras

 

Há dois tipos de pessoas no mundo: os que gostam de massagens suaves (de relaxamento) e os que gostam de massagens de enternecer a carne do lombo (terapêuticas). Estou a ignorar as pessoas que dizem de boca cheia que "não gostam de massagens", porque não vou abordar problemas psicológicos neste post. É verdade que eu sou das que gosta de massagens que pura e simplesmente relaxam, bem mimosas. Mas se essas sabem melhor no momento da massagem (a mim), as do segundo tipo sabem melhor nos momentos e dias seguintes. Foi o caso da massagem na Wondefeel. Eu gostei, fez-me bem. O Moço adorou. E mandei logo uma SMS a uma amiga que se tinha queixado de ir fazer uma massagem que não passou de festinhas a dar o contacto da Wonderfeel.  

 

Wonderfeel - Experiência Odisseias - Maria das Palavras

 

Portanto, a destacar: as mantinhas felpudas e quentinhas com que nos cobriram (salvo seja, hoje estou imparável) quando normalmente são só toalhas, a massagem às sobrancelhas (experimentem, caramba, foi 1% da experiência mas fez-me ficar fã - adoro quanso nas massagens de corpo completo não se esuqecem da cara), o cuidado das massagistas (que se certificaram que estavam a usar a pressão adequada - menos para mim, mais para o Moço)  e o espaço agradável da Wonderfeel que parece um lounge bar onde tomámos um chá para terminar.

 

Por outro lado, o estacionamento na zona é muy complicado (é preferível deixarem o carro no parque do Campo Pequeno ou noutro que há lá mais perto do que stressarem à procura do lugar inexistente antes de ser suposto relaxarem). E se posso fazer um reparo, no meio de uma boa experiência, será este: sendo uma massagem de óleos aromáticos...não lhes senti o aroma. Não deixou de ser bom por isso, mas é um toque de valor. 

 

Mais informação sobre Wonderfeel e Odisseias

 

Há várias experiências Wonderfeel na Odisseias, desde as massagens terapêuticas, à drenagem linfática e Reiki, ou aulas de Ioga e Plates, que podem aproveitar para se mimarem ou para mimarem alguém. Se forem como eu, e gostam de oferecer experiências a dois (para aproveitarem a própria prenda) este foi o voucher que usámos. Mas na Odisseias, são muitas as massagens a dois, dêem uma espreitadela à área de Spa e Beleza (quem sabe está lá a prenda de Natal que têm andado à procura e nem têm de ir ao Centro Comercial no tenebroso mês de Dezembro). 

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

12
Set16

3 Provas de Inteligência Aguçada dos Massagistas

Maria das Palavras

As estratégias dos massagistas são reveladoras da inteligência desta classe. Nomeadamente três, a saber:

1. Tornam o ambiente escuro.

Já que têm de esfregar corpinhos alheios, aos quais não conhecem os hábitos de higiene, ao menos adotam a perspetiva "olhos que não vêem, nojo que não se sente". Não se vêem pelinhos mal depilados, surrinhos atrás das orelhas, nem cotõezinhos no umbigo. E nestas coisas, é na ignorância que uma pessoa é feliz. No meu caso também já aconteceu não verem que tinha uma pêga de uma nódoa negra na coxa o que se traduziu nalguma dor escusada quando começar a galgar a área com as mãos - mas não há sistemas perfeitos, pois não?

 

2. Põem música a tocar.

Normalmente a banda sonora tem aquela aura oriental com uns plim-plim-plins que desligam o cérebro, embora eu preferisse um jazz básico. Nada contra. É que seja qual for a música ajuda a abafar sons indesejados, seja um ressonar moderado ou uns gemidinhos de prazer embaraçosos quando tocam em certos pontos (no meu caso, gritinhos histéricos se me tocarem nos pés). E o som/movimento de engolir? Não é sempre no  silêncio dos momentos em que um estranho (como um médico) está próximo de nós e é suposto estarmos sossegados e em silêncio que subitamente nos tornamos hiper-conscientes do ato de engolir saliva e temos MESMO de fazê-lo?


3. O pote de baba.

Muitas vezes naquelas macas com buraco para a cabeça, há uma taça grande, oval, por baixo com pedras ou flores decorativos. Num dos casos, aconteceu que a massagem incluia cromoterapia e a taça grande tinha água e luzes que variavam como parte do tratamento. Não me enganam tão facilmente. Nem é estético nem medicinal. É um pote para aparar a baba dos que se deitam e se decuidam e adormecem ou simplesmente relaxam demasiado a oca. É o que é. Pssht. Não neguem. Não querem estar sempre a lavar o chão. Eu percebo. 


Claro que há situações que nem o mais estatuto dos massagistas consegue prevenir... 

 
 
Image result for massage meme
 
 
 
 
 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

31
Ago16

Particularidades de uma massagem em particular

Maria das Palavras

Deixem-me contar-vos que fui fazer uma belíssima massagem (depois de aproveitar um belíssimo circuito de águas) no Hotel Vila Galé Ópera, com um voucher Odisseias. Ia enervada com o Moço que demorou muito tempo no ginásio (é difícil para mim compreender porque eu passo 2 minutos no ginásio e já me parecem 27 anos) e já íamos atrasados para aproveitar a parte da piscina, jacuzzi, sauna e banho turco que estavam incluídos. Só que assim que entramos na esfera "Clube de Saúde" do hotel, os meus genes de mau feitio começam logo a encolher. Muita simpatia na receção, ainda tempo para umas braçadas e bolhinhas de jacuzzi e a perspetiva de uma massagem de - precisamente - relaxamento. 

 

vila gale hotels - centro de saude | Spa - Experiência Odisseias por Maria das Palavras

 

Como sabem de tempos a tempos mimo-me com uma tratamento destes (ah, o segredo da felicidade temporária) e vou deixar-vos com as particularidades e pontos altos deste:

  • Efetivamente respeitaram o meu pedido de não me tocar nos pés que eu morro de cócegas. Normalmente falo disso, riem-se e prometem que não tocam nos meus pés durante a massagem e depois, enquanto vão lá fora para eu tirar a roupa, fazem uma lavagem cerebral e voltam com íman das mãos para os pés. Desta vez foi um alívio.
  • A massagista que me calhou em rifa tinha as mãos mais macias do planeta terra. Cheguei a considerar que fossem luvas de pele de rabinho bebé (estou a brincar, não me chateiem) e quando cheguei à conclusão que eram efetivamente só as mãos dela ao natural, pedi a Deus que concedesse a graça a todos os massagistas do mundo de esfolarem as mãos com lixa até conseguirem esta textura.
  • A massagista que calhou em rifa ao Moço, que era massagem a dois, reconheceu-me! Estive lá há muitos meses para uma massagem mais curta com uma amiga que tinha um voucher por usar e me convidou para ir com ela. Eu que não reconheço a cara de ninguém (tenho sérios problemas com isto) fiquei impressionadíssima por ela me perguntar se não tinha estado lá há uns tempos.
  • Fizeram-me uma massagem no cotovelo! Foi a primeira vez que me massajaram especificamente o cotovelo e, eu nem sabia, mas parece que estava a precisar Pode ser a esfrega que anda a fazer falta a muito boa gente.


Foi uma excelente massagem, de aroma a óleos doces com as tais mãos macias e mesmo de relaxamento. Isto porque às vezes vamos a uma massagem de pseudo-relaxamento mas começam a fazer força para desatar os nós das costas e a pessoa só relaxa quando acaba. Ora se eu quisesse tratamento ia a fisioterapia, não a um Spa. Digo eu. Já o Moço gosta à bruta, salvo seja.

 

massage_o_1077520.jpg

 

Se quiserem saber mais sobre a experiência (ou imitar-me) está aqui o link.



Sigam-me no Instagram - @maria_das_palavras e no Facebook aqui.

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

08
Jun16

A minha primeira experiência a três.

Maria das Palavras

Tenho de abrir o jogo convosco e contar-vos a minha primeira vez com dois estranhos: um homem e uma mulher. Começou por ser estranho, mas acabou por ser uma experiência de puro deleite. Já sei o que estão a pensar: e o Moço? Ficou de fora, mas apoiou-me. Sabe que precisamos destas quebras na rotina para manter uma vida animada. 
Eu cheguei e deixaram-me numa sala. Pediram que me despisse. Que me estendesse. As luzes baixas. A música suave. E depois besuntaram-me com óleo para que as mãos escorregassem melhor no meu corpo. As mãos e...só as mãos! Estava na Stetic4U a receber uma massagem a 4 mãos, experiência Odisseias, o que achavam que era? Hein, seus pervertidos ordinarões? Envergonham-me com essas mentes putrefactas...

 

Stetic4u - Experiência Odisseias | Maria das Palavras

 

Mas esqueçamos à vossa mente e voltemos à minha. Sabem quando estamos a ser massajados e é suposto estarmos de mente vazia? Normalmente não consigo. Aproveito muito bem a experiência, mas estou sempre a pensar em qualquer coisa, normalmente de como vou contar o que se passa aqui no blog ou ao Moço. A promessa era uma massagem a 4 mãos com aromaterapia e cromoterapia. E com todos estes estímulos ao mesmo tempo é impossível não esvaziar a cabeça e ter foco total nas sensações.

 

Quando estão a ser massajadas partes diferentes do corpo a sensação é boa, sendo que há sempre uma zona que está a predominar em relação a outra - normalmente a nossa favorita de levar festinhas. Mas quando se fazem danças sincronizadas nas nossas costas a quatro mãos ou temos as duas pernas ou os dois bracinhos em modo frango assado a ser bem massajados: chegámos ao céu e não temos travões. 


Stetic4u - Experiência Odisseias | Maria das Palavras

 

Percebi logo a parte da aromaterapia quando me começaram a esfregar aqueles óleos cheirosos, mas só quando me virei para baixo e me deparei com um jogo de luzes (sem ser o da sala) é que apanhei com a cromoterapia em cheio. Mas não dá sensação de discoteca, são luzes suaves que variam de cor e fazem parte do jogo de sentidos (mesmo com os olhos fechados). 

 

Uma coisa que eu gostava de propor aos donos de clínicas de estética e spa's que oferecem massagens é porem uma câmara escondida apontada à cara das pessoas quando estão com a face aqui enfiada neste orifícios das macas de massagem (deve ter outro nome). Pelo menos eu tenho expressividade suficiente para fazer um filme mudo - e não é só quando estou a tentar não me babar.

 

Stetic4u - Experiência Odisseias | Maria das Palavras

 

Foi de facto a primeira vez que fui massajada por duas pessoas em simultâneo e posso garantir que é todo um novo nível! A equipa também era uma simpatia, não só os talentosos que me puseram as mãozinhas em cima, e explicaram-me que tinham outros "rituais" de massagens, com surpresas românticas (como cápsulas com mensagens), de aniversário (flor de lótus que abre com uma vela, bolinho), etc. Fiquem com a pulga atrás da orelha para as ocasiões especiais - que eu também fiquei. 

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

13
Mai16

Fui ao aeroporto...receber uma massagem.

Maria das Palavras

Odisseias Tryp Lisboa (fotos site Odisseias)

 

A Maria vai fazer este post na terceira pessoa porque a Maria quer. A Maria acha que toda a gente merece ser bem esfregada de vez em quando, salvo seja. E desta vez saiu com a carne tão tenra, meus queridos, que estava pronta para temperar e ir ao forno. 

 

Este é o spa que nos relaxa e nos engorda: por isso aqui a menina recebeu uma bolachinha com o roupão logo à entrada e um chá com bolachinhas e um chocolate depois da massagem. Como quem diz "daqui não vais a dizer que passaste fome". Um política que faz falta a muitos restaurantes, no fundo...Estamos a falar do Tryp Hotel Lisboa Aeroporto, numa experiência proporcionada pela Odisseias

 

Tryp Lisboa Aeroporto - Massagem - Maria das Palavras

 

Ora bem, Maria troca-se, come a bolachinha e começa por atacar a zona de spa: sauna, banho turco e mega piscina com zona de jacuzzi. E meus senhores, este e o melhor jacuzzi onde Maria colocou alguma vez os seus presuntos gourmet. O dito é integrado numa ponta da piscina e tem uma espécie de espreguiçadeiras dentro de água que são todas elas compostos por jatinhos de água. Um sonho.


Passei aí o meu tempo praticamente todo até ser chamada para "a" massagem. [pronto, já não estou a falar na terceira pessoa] Uma massagem de bamboo. Eu desconfiei logo do que se ia passar quando avisei que tenho muitas cócegas nos pés e ela disse "como eu faço não tem cócegas, é preciso é força". Ui...
Bom, digo-vos já: não foi uma massagem de relaxamento, foi praticamente fisioterapia (nunca fiz fisioterapia, portanto deixem-me comparar à vontade). Ela migou-me todinha até desfazer não-sei-quantos nós de tensão que trazia nas costas e calcou-me os pés de tal forma que as cócegas até fugiram. Acham que me estou a queixar? Não estou! Claramente a rapariga sabia o que estava a fazer (e melhor do que eu, sabia o que estava a precisar - tareia no lombo, o  Moço há-de concordar). Os meus músculos tensos viraram algodão e ao sair estava mais leve e relaxada do que nunca. Há quem aprecie mais massagens de óleozinhos ao de leve e quem aprecie mais massagens em força (como o Moço, que adorou esta). Eu habituava-me com muita facilidade ao dois tipos. Neste caso levar com canas (de bamboo) fez-me muito bem. 

 

Bamboo (Imagem Pixabay)

 

No fim ainda aproveitei um pouco a sauna até ter aquela sensação familiar de olhos a arder (portanto ao fim de 30 segundos, sou uma fraca) e não fui ao banho turco porque estava lá um rapaz sozinho, giro, por sinal, e eu não queria que ele achasse que ia fechar-me com ele naquele espaço exíguo para lhe fazer mal. Isto porque nesta altura achava que já estava solteira: o Moço tinha ido comigo mas eu não o encontrava em lado nenhum. Afinal já estava a despachar-se no balneário masculino, porque tinha rebentado a touca na piscina. Eu também acho a touca ridículo mas não me ponho a rebentá-las por causa disso. Cada um sabe de si.

Experiência a repetir? Sim. Mas para a próxima, e já que estamos ali junto no aeroporto, que seja também para seguir viagem logo a seguir.

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

30
Mar16

Notas d'Ontem

Maria das Palavras

Acho que devia ter um cartão de sócia da Odisseias, daqueles que dá pontos. Além das coisas que já usava e continuo a usar do meu bolso ou que me oferecem em Natais e afins; além das coisas que pingam de vez em quando pela parceria que tenho com a marca; ainda me calhou ontem usar com uma amiga um voucher que ELA tinha recebido no seu aniversário


"Maneiras que" fomos ao spa do Vila Galé Ópera, ali como quem foge para o Rio Tejo. Não vos vou mostrar grande coisa porque amuei desde que a minha máquina fotográfica se avariou (sou capaz de ir hoje passar uma vida à Worten a ver se resolvo isto), mas gostava de partilhar convosco algumas notas:

 

  • Afinal as pessoas nuas no balneário e toda a dinâmica do duche entre pessoas estranhas só me fazem confusão no ginásio. Se for num sítio onde vou apanhar jatos de água quente e pancadinhas no lombo, tudo bem - até digo boa tarde sem problemas.
  • A massagem era de 40 minutos. O tanas. Afinal era 40 minutos divididos pelas duas. Fiquem atentos e perguntem quando fizerem a marcação para não irem ao engano. Portanto 20 minutos com uma terapeuta a pôr-nos a carne mais tenra (com pedras, começo a ficar seriamente fã deste tipo de massagens) e 20 minutos na maca, cara no buraco, umas pedritas equilibradas nas costas em cima da toalhinha aquecida e sossego. Acho que foi a primeira vez que me senti adormecer numa sala de massagens. Quando dei por mim tinha a boca toda a aberta e espero não me ter babado. Mas se babei, em baixo do buraco da maca estava uma taça com pedrinhas, por isso também não se notou.
  • Sou oficialmente a pessoa mais distraída do mundo. Parece que tomei banho ao lado da Rosa Mota, sei que passei mesmo de frente por ela enquanto se esfregava (de fato-de-banho vestido, atenção) mas não reparei quem era. Por mim podia ser outro rapazinho qualquer no balneário feminino. Teve de ser a minha amiga a dar-me dois pares de estalos para me acordar. Figurados, entenda-se. Quando mais tarde relatámos isto ao Moço ele disse "é natural, no outro dia vimos um filme inteiro ao lado da Gisela João e acho que ela nem viu". A minha resposta: "Quando??!!".

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

11
Fev16

"A" Massagem

Maria das Palavras

Eu e o Moço temos um hábito muito jeitoso que é sempre-que-dá fazer uma massagem a dois. Isto porque quando eu lhe faço massagens a ele e ele a mim a coisa é muito desequilbrada.

Desta vez, e por causa da Odisseias, fomos parar ao GSpa do Altis Grand Hotel, em Lisboa. 

 

GSpa | EXperiência Odisseias - Maria das Palavras

 

Só vos digo isto: foi a melhor massagem que fiz na vida. Teve muito a ver com as mãos mágicas da menina que me besuntou e pressionou, mas todo o contexto e o total da experiência ajudaram a esta minha opinião. Eu explico! O voucher não dava só direito a massagem: era massagem de pedras quentes, esfolição e acesso livre à zona de spa com piscina aquecida, jacuzzi, banho turco e sauna. Fomos a tudo, obviamente, muito embora aquela regra das toucas para usar a piscina interior e o jacuzzi me mate a cada segundo que a uso. Uma coisa vos digo: se o Moço não me abandonou depois de me ver de touca, não me abandona nunca.

 

Odisseis GSpa - Maria das Palavras

 

Chegámos cedo, impressionámo-nos com o hotel, a simpatia natural das pessoas, as instruções bem dadas e tal e tal. A zona de Spa estava vazia, o que foi um mimo. Aliás, vazia, se não contarmos com o homem que dormia numa espreguiçadeira (não teria cama melhor no seu quarto de hotel? ou será dos que paga mensalidade para usufruir do GSpa e vai para ali dormir enquanto evita a família?). Começámos por umas braçadas na piscina, contornámos o homem que dormia (estaria morto?) para ir ao jacuzzi, e optámos pelo banho turco em vez da sauna. O banho turco faz-nos suar que nem porcos assim que entramos mas é de um calor muito fresco - será que posso dizer isto? - pelo aroma desentope-narizes que pr'ali vai. Outra coisa vos digo: se o Moço não me abandonou depois de me ver a suar que nem um porco no banho turco, também já não me abandona. Ainda pus um pézinho (de porco suado) na sauna, com os seus 84º de temperatura, mas definitivamente não é coisa para mim. Sou do tipo de respirar. Pessoas com manias, enfim. 

 

GSpa | EXperiência Odisseias - Maria das Palavras

 

A seguir foi a massagem. As massagens! Numa sala amorosa, cheirosa, com musiquinha, duas macas daquelas com buraquinho para a cara e dois chuveiros - ah pois é! Das coisas que mais me atrapalham nestas coisas das massagens é não saber com que grau de nudez me devo exibir - creio que para os homens é mais fácil. Por isso gostei muito quando me pediram claramente que vestisse só o roupão e a tanga descartável para me dirigir à zona de terapia - mas se não me sentisse à vontade podia manter a minha roupa interior. O Moço optou por não usar a tanga descartável por motivos relacionados com: eu não conseguiria parar de rir. 

 

Experiência Odisseias no GSpa - Maria das Palavras

 

A esfoliação com açúcar de aroma de limão durou ali um bom tempo. Fui toda arranhadinha (no melhor sentido possível) e o Moço cobriu-se de açúcar sem estragar a sua dieta. Bem bom. A seguir as meninas saíram para...tomarmos um duche para a segunda fase! Que maravilha. Depois vieram com os óleos e as pedras quentes. Houve uma altura em que ela me põe as pedras quentes nas borregas (ali ao fundo das costas) e eu achei que me estava a queimar, até dei um pequeno salto. Mas como não senti a pele a vir agarrada à pedra pensei que talvez aquilo fosse normal e tivessem a situação controlada - tinham. No fim, ainda nos ofereceram uma desgustação de chás, com bolachinhas a acompanhar, com uns bules e chávenas amorosos. 

 

Experiência Odisseias no GSpa - Maria das Palavras

 

Conclusão: foi uma tarde muito bem passada, assim ao nível do "leiloava o Moço para ter isto todos os dias". Mas fiz jus ao meu título de blogger menos in do pedaço. Reparei depois, nos balneários, que entrei no hotel de 5 estrelas e no GSpa com uma meia rota...aliás uma  cratera lunar mesmo na coxa, bem visível nos collants escuro sobre a pele de lula pálida. Há coisas que não mudam. 


A Odisseias tem experiências de massagens para todos os gostos e feitios - vejam aqui. Bem podendo, não hesitem. É o céu. E para fotos melhores...vejam aqui as de uma das experiências disponíveis no GSpa.

 

Facebook Maria das Palavras - Clica para gostares

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

29
Jan15

Serviço Público: Carta aos massagistas

Maria das Palavras

Olá massagistas do mundo,

Deixem-me começar por dizer que sou vossa fã! Não em particular daquela senhora para os lados de Carnide com calos nos dedos que me beliscou tanto que estranhei que as costas não tivessem sangrado, mas em geral daqueles por entre vós que aderem aos vouchers de desconto.

Com a minha vasta experiência em massagens profissionais no lombo (umas quatro na vida) deixo-vos algumas recomendações, do ponto de vista do cliente: 

Quanto ao grau de nudez

Sejam específicos. Não nos abandonem na sala com um "já volto, ponha-se confortável". Isso quer dizer quantas peças de roupa tiradas? É que confortável ao pé de estranhos estou mesmo é vestida...Para os homens até se torna relativamente fácil. Para as mulheres (digam-me que não estou sozinha) o soutien é sempre uma piéce de résistance. Parece errado tirar. Mas às tantas já te está o profissional a massajar as pernas e começas a aperceber-te do erro porque ele não te consegue massajar bem as costas com tiras de tecido em todo lado. E agora como é que tiras o soutien sem ele reparar? E quase sempre batem à porta ainda tu estás a meio deste processo de pensar se tiras mais roupa ou não, atiras tudo para um canto, deitas-te e tapas-te com a toalha maior que encontras...para ouvir o massagista dizer que era para te virares ao contrário. Olha, põe uma placa! This side up.

 

Quanto à banda sonora

Normalmente são aqueles básicos orientais que não chateiam e diz que até relaxam. E eu estou de acordo. Até ao momento em que a minha barriga começa a fazer ruídos involuntários. Ou a respiração do massagista se torna evidente e audível. Ou quero engolir a porra da saliva e o constrangimento do silêncio não me deixa e quase me afogo na minha própria garganta. Por isso vamos optar por uma musiquinha mais alta, mais completa, com diversos instrumentos, para eu estar de facto relaxada e não preocupada em parecer relaxada.

 

Quanto aos cuidados capilares

Receber massagens despenteia: é um facto. Não dispenso, alias, a parte em que me lançam os dedos ao escalpe e depenteiam vigorosamente. É toda uma experiência Herbal Essences, com óleos em vez de champô. E até percebo que são massagistas e não cabeleireiros (alguns até são) para ter escovas esterilizadas na zona de spa para todos usarem. Portanto o pessoal habitua-se a levar uma escovinha ou usar os dedos no pós-momento. Agora, pelamordedeus, arranjem um espelho de forma a sairmos da salinha sem parecermos cientistas loucos. Por favor.

A touch of humour

E pronto era isto. Um bem-haja. E estejam à vontade, massagistas do mundo, para me convidarem aos vossos estabelecimentos, a comprovar que a par das vossas mãos mágicas, têm todos os aspetos acima mencionados mais do que cobertos.


Um apalpão (amor com amor se paga),

Maria das Palavras

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

28
Jan15

O amor está nos detalhes #12

Maria das Palavras

Fui fazer uma massagem no fim-de-semana. Quando cheguei, o massagista disse uma coisa muito estranha: pediu-me para deixar as meias. Não percebi, mas obedeci, feliz - porque morro de cócegas nos pés e a experiência de ele me tocar nos pés poderia ser traumatizante para ambos se eu desatasse aos pontapés com um ataque de riso.
Descobri mais tarde: foi o Moço que lhe disse para não massajar os pés que eu tinha muitas cócegas. 

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D