Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

14
Abr16

Primeiro Encontro: 10 Perguntas

Maria das Palavras

Já uma vez me tinha dedicado aqui a dar conselhos para o primeiro encontro (para eles e para elas) e também já tinha contado como foi o meu primeiro encontro com o Moço. Mas vi por aí este desafio, numa tag pelo bairro, em alguns blgs que sigo, e estou cheínha de vontade de responder. Posso? Aí vai!

1- Pode ser a menina a convidar para o primeiro encontro?

Se ainda for menina, considere o enquadramento legal da situação. Se for mulher, pode, claro. 

 

2- Qual é a idade ideal para um primeiro encontro perfeito?

Nenhuma. É preciso desconfiar se o primeiro encontro for mesmo perfeito. Por exemplo, o Moço levava um barrete na cabeça...

 

3- O que vestir?

Qualquer coisa de nível acima da Ana Malhoa e nível abaixo da Irmã Lúcia. Vejam aqui o ponto 3.


Usar e não usar no primeiro encontro

4- O que levar na carteira?

As coisas do costume. E nada de truquezinhos de deixar a carteira em casa "por acidente" que vos fica mal. Se estão mal de finanças vão a um sítio mais barato. Casa da mãe não vale.

 

5- Que maquilhagem usar?

Qualquer coisa que destaque os vossos melhores atributos (levantem lá a cabecinha que estamos a falar só da cara) e esconda a filha-da-mãe da borbulha que tinha mesmo de nascer naquele dia e vocês escarafuncharam toda com os nervos. Nada de frescuras de "ai, quero que ele conheça as minhas olheiras desde o primeiro dia para saber se gosta realmente de mim". Sejamos honestos: é o primeiro encontro, ninguém gosta realmente de ninguém. Por isso venda-se bem, sem exageros.

 

6- O que fazer se ficar sem assunto?

Esta questão é das mais frequentes nas nossas cabecinhas tontas não é? Agora pensem assim, se fosse um café com qualquer pessoa sem interesse amoroso, dava-vos esse medo? Não. Em princípio isso não vai acontecer a não ser que estejam super nervosos (e os nervos não vos dêem para falar pelos cotovelos). Nesse caso, a primeira coisa a fazer é não entrar em pânico (o silêncio faz parte da vida e aprenderão a estimá-lo mais à frente se a coisa correr bem). E podem sempre levar uns tópicos pensados (ou escritos, se tiver mesmo de ser, no ecrã do telemóvel) para vos dar segurança. 

 

7- O que fazer se algo der errado?

Seguir com a vida. Se corresse sempre tudo bem só havia um primeiro encontro na vida e na maioria dos casos não é assim - e ainda bem, ou então não, nem sei. Se estamos a falar de estratégias de fuga não vale a pena, a não ser que estejam desagradadas ao ponto do assustadas. Mesmo que não estejam a gostar, façam como eu quando estou numa sala de espera num consultório ou coisa que o valha e tenho de passar tempo: pensem que amanhã por essa hora já não vão estar nesse sacrifício nem se vão sentir como naquele momento. Deixem passar, encarem a coisa com naturalidade e quando acabar: adieu pessoa e hello episódios da Clínica de Grey.

 

8- Vale beijar no primeiro encontro?

Vale tudo, desde que estejam alinhados um com o outro e respeitando a personalidade de cada um. Um beijinho não faz mal a ninguém, também diz alguma coisa sobre o outro se na parte da conversa já viram que corre bem. A não ser que...

 

Mama-June-Shannon-20.gif

 

 

9- Como saber se a pessoa vai querer um segundo encontro?

Meio caminho para se saber é perguntar. Mas a não ser que tenha sido penoso (e aí vocês também vão sentir) é muito provável haver um segundo encontro para tirar teimas ou para ganhar certezas. Não precisam ficar de vigia ao telemóvel, nem suster a respiração para mandar mensagem se vos apetecer fazê-lo logo no dia seguinte. E quando houver mais conversa leiam sem interpretar muito: "oh meu deus ele pôs um ponto final na frase, significa que quer acabar com isto" ou "oh meu deus ela mandou um beijinho, está toda libidinosa para cima de mim, a maluca!". Geralmente eles são mais diretos que elas. Mas elas quando não querem também são bem diretas - não achem que se está a fazer de difícil e insistam durante três anos no segundo encontro.

 

10- Convida 5 pessoas a responder a este desafio.

Sou muito tímida para isso. Antes convidar para um primeiro encontro...

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

22
Abr15

7 Frases a Evitar no Primeiro Encontro

Maria das Palavras

Avançar para um strip em cima da mesa no meio de um restaurante aberto ao público durante o primeiro rendez-vous é lastimável, mas ainda assim preferível a proferirem qualquer das seguintes frases:

1. O/A meu/minha ex não era nada assim.
Mesmo que a comparação seja para melhor só de mostrarem que estão a pensar no/a falecido/a já estão a perder pontos. Se a comparação for para pior acho que nem tenho de explicar, não é?

 

2. Tu não te calas!

Está bem, disseste isto a sorrir e depois? Achas que foi bonito? A pessoa está a falar que se desunha porque está nervosíssima...mas depois deste comentário, upa upa: vai ser a serenidade em pessoa. NOT.

 

3. Então, não dizes nada?

Vou virar o disco para tocar o mesmo. A pessoa está nervosíssima e não sabe o que há-de dizer. E o teu comentário ainda ajuda menos que os silêncios constrangedores que já se tinham registado até ao momento. Vai ler sobre desbloqueadores de conversa, mas nunca, minha alminha, digas isto. Ficas com a companhia muda na mesma e vermelha que nem um tomate de brinde.

 

4. Deixa-me só ligar à minha mãe.

O problema não está em ter mãe ou manter o contacto com ela. Mas se nem um primeiro encontro é motivo para te esqueceres dela por um bocadinho...diria que há aí qualquer coisa de pouco saudável nessa relação. Prepare-se a companhia: se quiser apanhar esse comboio, vai sempre na carruagem trás.

 

5. Tens aí uma borbulha, não é?

Obrigada! Não estava nada consciente e brutalmente complexado/a com este vulcão que esperava ter disfarçado convenientemente. Vale para qualquer defeito físico a apontas, tipo: És tão pálida! Ou: a tua barba parece pelito de rato, não é?

 

6. És contra ou a favor de sexo no primeiro encontro?

Se era a favor acabou de ficar contra que não é assim que se fazem as coisas. 

 

7. Nem acredito que ainda é tão cedo.
Sabem aquilo de "quando nos divertimos o tempo passa a correr"? Acabaste de denunciar o quão terrivelmente aborrecido/a estás. Se não era isso que querias dizer, pelo menos foi isso que se ouviu do outro lado.

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

13
Mar15

Guia para o primeiro encontro: para eles

Maria das Palavras

Depois do sucesso estonteante do artigo Guia para o primeiro encontro: para elas - cerca de cinco pessoas e meia chegaram a lê-lo e só uma o fez por engano - aqui está a mais que desejável sequela. Não se enervem, rapazes, que aqui a Maria explica. E as meninas podem sentir-se à vontade para acrescentar tópicos (mas não sejam picuinhas).

 

1. Descontraiam. A não ser que sejam mini-playboys (apetecíveis, mas desaconselháveis) e tenham encontros marcados dia-sim-dia-sim vão sentir um nervosos miudinho nalgum momento. A sério: descontraiam. Ela também está nervosa: provavelmente mais. Um segredo: até pôs pó de talco no sovaco para não a certeza que não transpirava demais.

 

2. Não a julguem logo pela aparência. Os homens comem com os olhos são seres muito visuais. Isso não vai mudar. Mas não dêem o encontro por encerrado assim que a vêem chegar mal-arranjada (lembrem-se da história do patinho feio). Se não for para mais nada, ao menos pretende-se que passem um bom bocado e para isso tem de estar com uma atitude upa upa e a mente aberta. Da mesma forma, não achem que só porque ela está a usar um decote demasiado pronunciado ou uma saia um tiquinho muito curta, ela é uma fácil e têm concubinagem garantida. Pode sempre dar-se o caso de estar mal-aconselhada por uma amiga mais sluty ou não ter lido o meu guia de primeiro encontro para mulheres. Lembrem-se das ilusões de ótica e da diferença que roupa e maquilhagem fazem numa mocinha.

Olivia Wilde

 

3. Saibam ouvir. Ou falar. Já mencionei que ela está nervosa? Isso pode dar lhe para falar como se estivesse a fazer um especial para a rádio ou calar-se que nem um rato. No primeiro caso, deixem-se levar e vão moderando a conversa com perguntas desviando o tópico se o assunto do momento já vos estiver a aborrecer - não queremos isso. No segundo encontro ela há-de estar menos nervosa e talvez tenham a vossa oportunidade de falar mais. Ou então não e sintam-se à vontade para lhe perguntar se não querem também saber mais sobre vocês, No segundo caso, em que ela não fala muito, é essencial que tenham tópicos de conversa pensados e lhe vão fazendo perguntas. É que os silêncios incómodos só vos vão deixar aos dois ainda mais desconfortáveis e dar um efeito bola de neve à crise.

 

4. Escolham sem escolher.  Sejam homenzinhos e escolham o lugar e programa para encontro. Jantar e cinema calha sempre bem - um clássico que nunca falha, mas também podem ser mais originais. Com cuidado. E tendo em conta a opinião da moça. Deixem a surpresa total para quando a conhecerem melhor e souberem os gostos dela. Não vão querer supreendê-la levando ao ringue de patinagem ou ao sushi mais badalado da cidade. E depois descobrem que o irmão dela atropelado numa pista de patinagem e ela não gosta de sushi. Se lhe perguntarem onde quer ir ou o que quer fazer ela reposnderá "não sei". Porque não sabe mesmo ou porque vos quer testar. É irrelevante. Vão por mim e preparem duas ou três opções distintas de restaurante ou programa. Depois são-lhe a escolher. Assim partilham responsabilidade, Mas mesmo que ela seja super indecisa (que as há) e não saiba mesmo o que quer, pelo menos excluirá as opções que odeia e vocês não passam uma vergonha. E SIM, vocês é que pagam. Pelo menos tentam. 

 

5. Go for the kill. Claro que nem a água: o primeiro beijo é da vossa responsabilidade (o que não quer dizer que não pode ser ela a avançar, mas é pouco provável). Se a coisa parecer estar a correr nesse sentido, peguem em tudo o que vos restar da confiança com que regaram a vossa atitude ao jantar (e talvez num bocadinho do alcóol que ingeriram) e arrisquem. Na pior das hipóteses ela desvia-se. E já ficam a saber que a vossa impressão mar-de-rosas estava errada e podem andar com a fila. Não se preocupem: se ela se arrepender vai-vos mandar uma sms depois de falar com as amigas e elas lhe darem na cabeça.

that all-important first date kiss

 

6. Esqueçam as regras que os vossos amigos vos ensinaram. Se vos apatece falar com ela logo no dia a seguir ao encontro liguem ou (mais moderadamente) mandem uma sms. Ela ficará feliz - se de facto estiverem em sintonia - e com os tarifários atuais: nem vos custa nada. Atenção: ligar ou mandar uma sms no dia a seguir não é igual a: mandem uma sms por hora, liguem para saber se ela chegou bem a casa depois so trabalho e enviem rosas. Too soon. Isso sim, cheira a desespero - e as mulheres preferem aromas frutados.

7. Sejam honestos ao longo de todo o processo. Já expliquei, mas nunca é demais repetir: se logo aí ou a partir daí sabem que não querem nada sério (tipo, sem chance), serem honestos sobre isso não vos iliba quando se aproveitam do facto de ela querer mais. Não deixem, no entanto, de lado, uma chance para se surpreenderem. Um dia todos nos apaixonamos. E raramente (nunca, digo eu) é logo para começar.

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

18
Dez14

Como o Moço me Conquistou: a História

Maria das Palavras

Estiveram à altura do desafio. Eu confesso que não achei que chegássemos aos 50 likes e ainda guardava o trunfo para uma próxima. Mas juntaram-se todos para me "lixar" e portanto merecem a história da minha queda. De amor.

Cenário ideal - Maria das Palavras


Corria o ano de 1964 e passava uma brisa leve...

Pronto, agora a sério. Está quase a fazer um par de anos e estava frio como o raio. Depois de termos estado na mesma festa de Passagem de Ano, por termos amigos em comum (que até já nos haviam apresentado quer num passado distante, quer num passado próximo), ficou uma linha de comunicação aberta. Um flirtzinho aqui, uma provocaçãozinha ali, um chat de Facebook sempre aberto...eu um pouco impaciente, a ser vilmente cortejada por outros garbosos seres, mas só neste via potencial: era o único que nunca mais me convidava para sair...


E eis que chegamos ao momento definidor. Quando ele me escreve na janelinha azul:

 

Queres jantar na Sexta?

 

Tomei um momento, tentando não saltar da cadeira. Fiz-me de difícil, afirmei ter de consultar a agenda. E finalmente acedi: sim, vamos jantar na Sexta.

E ele desfaz-me as ilusões assim:

Mas não somos só os dois, ok? É o jantar de aniversário do A. [nosso amigo em comum]. Ele entretanto deve mandar sms ao pessoal.

Caiu-me tudo. O sacana arrancou-me a resposta (será que eu quereria jantar com ele?) de forma maliciosa. Levou-me ao engano, tornou-me pequena e fez-me odiá-lo. E respeitá-lo.
Quem era este adversário à minha altura que, de forma matreira, me levou a demonstrar interesse - ficando ele seguro?

Claro que a partir daí teve de penar para me fazer de facto jantar com ele. Só com ele. Ser jeitoso e irresistível colaborou muito para que eu demorasse menos a ceder novamente do que devia (e planeava).
E um dia 30 fomos jantar, com acompanhamento de conversa deliciosa. E depois ele levou-me ao bar mais intimista de sempre para me tomar por certa. Resultou.

Sacana. Que eu amo.

[E assim nasceram todas as outras histórias que alimentam a rubrica O Amor está nos Detalhes]

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

04
Set14

Guia para o primeiro encontro: para elas

Maria das Palavras

1. Não falem pelos cotovelos. Tenho uma amiga que quase dá força literal à expressão porque além de falar como se o mundo acabasse amanhã e não pudesse deixar nada por dizer, ainda acompanha o discurso de gestos largos. Ele começa logo a ver a vida dele a andar para trás: como vai ser quando quiser estar a ver o Benfica em silêncio (e sem esbracejar que tape o ecrã)? Falem, sem dizer logo tudo -  para criar mistério no ar e ainda haver conversa para um segundo encontro (e toda uma vida, quem sabe). Além disso ele também pode querer falar...mostrem interesse. Se notam que não se calam, travem-se e perguntem-lhes coisas: a opinião deles, se já fizeram isto ou aquilo, e tudo no geral que não seja muito polémico (és contra ou a favor do aborto?) ou intímo (ex-namoradas?). 

2. Não sejam nada mais do que aquilo que são. Mesmo que não sejam pró-honestidade, lembrem-se disto: a mentira tem perna curta. Se não gostam de futebol, assumam (ou antes, não mencionem). Não se queiram fazer de experts e interessadas em algo que vos aborrece. Não vá ele falar-vos do Maradona e vocês acharem que isso é aquela corrida dos 42km. Vão ser apanhadas, ok?

3. Roupa nem-tanto-à-terra-nem-tanto-ao-mar. Vistam-se e olhem ao espelho. Está apropriado para uma entrevista de trabalho num banco? Troquem. Dá para ir à discoteca a seguir? Troquem. Adequada a funerais? Troquem. Quem vos vê na esquina pergunta quanto levam? Troquem. Dá para ir treinar? Troquem. Dá para estar confortável em casa? Troquem. Dá para ir a um casamento? Troquem. Sobrou alguma coisa? Usem isso. Não há nada proibido (rasos ou saltos altos, calças ou saias,...) desde que o conjunto não caia nos extremos que mencionei e não traia o vosso estilo pessoal. De resto, quanto mais simples: melhor.

Usar e não usar no primeiro encontro

Imagens NÃO: wheretoget.it | lambopower.com | www.buzzle.com
Imagens SIM (linha de baixo): mangooutlet.com

 

4. Não sejam controladoras...nem indecisas. Não exijam o restaurante XPTO (sobretudo se esperam que ele pague e o vosso favorito pede um balúrdio à cabeça), mas também não sejam meninas quando eles vos perguntar onde gostariam de ir. Está bem que eles podiam escolher e pronto, ser uns homenzinhos, mas também não vos conhecem convenientemente (isso muda, se correr tudo bem) e não querem cometer o erro de vos levar a comer sushi quando vocês não podem com o cheiro de peixe cru (e já percebemos que eu não sou a única). Se ele vos perguntar, sugiram que vos dê dois ou três à escolha e vocês decidirão o favorito. Tira-lhes um bocado a pressão de cima (uma má escolha será dos dois) e aprendem desde o início a nobre arte da partilha de responsabilidade. Igual para um filme no cinema. Ou qualquer outro programinha. 


5. Deixem que seja ele a avançar. Se forem umas grandes malucas e quiserem atirar-se de cabeça tudo bem, mas a maior parte de nós tem sempre aquele medinho de estar a ler mal os sinais. E outra parte acha que lê bem e depois faz asneira, porque se apaixona perdidamente por aquele que já vai no terceiro caldinho da semana e tem conversa para todas. Portanto deixem-se estar com todo o à-vontade possível (que não envolva falta de pose) e deixem acontecer. Prometo que no final da noite ou perto disso, ele mostra se está ou não interessado. Talvez não avance para um beijo. Mas talvez vos mande uma mensagem logo de seguida. Ou vá falar convosco no dia seguinte para marcar novo encontro.  Deixem só claro que estão a gostar (se for verdade) e deixem ver o que ele faz. Entenda-se que "deixar claro que gostaram" não é fazer o piscar de olhos 347 que vocês sabem que é de engate e esperam que ele saiba também. Ele vai só achar que tinham qualquer coisa no olho. Conseguem ser claras e subtis? Usar as palavras sem ser "ó-meu-deus adoro-te!"? Então façam isso. Qualquer coisa honesta e simples como "estou a gostar imenso de estar aqui contigo" dá para o gasto. Note-se que estou a falar de primeiros-encontros apropriados para menores.


6. Sorriam. Não falo de sorrisos forçados ou gargalhadas nervosas. Mas sorriam porque independentemente do que acontecer estão a jantar (ou outra coisa qualquer) em boa companhia - se não estiverem a gostar não precisam sorrir, mas aí também não precisam de outra dica que não seja: chama o táxi assim que possas. Mas mostrem o vosso melhor lado, o mais leve e feliz. Não é para serem falsas, já vimos que isso não funciona. Mas para mostrar que quando estão com ele, as preocupações e o lado lunar podem ser afastados por um bocadinho - coisa que devíamos todas praticar ao longo da relação, por mais que às vezes seja difícil. Relax and enjoy. Se for desta tanto melhor. Se não for, ao menos jantaram bem (espero). Eles sabem perfeitamente que somos instáveis e fazemos birras e choramos por dá-cá-aquela-palha (está no dicionário, a seguir a mulher). Deixem que saibam também que conseguimos ser adoráveis.

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D