Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Maria das Palavras

A blogger menos in do pedaço, a destruir mitos urbanos desde 1986. Prazer.

26
Ago19

Dois dedos de conversa #110

Maria das Palavras

Agora que já contei esta história a toda a gente com quem me cruzei e portanto o Moço já me odeia, nada a fazer, conto-vos a vocês também.

Ele foi à cozinha e eu pedi-lhe, gritando da sala, que me trouxesse um gelado.

Moço (da cozinha) : Qual queres?
Maria (da sala): Não sei, o que há?

(abre o congelador)

Moço: Há Fizz e Cornetto de Pau. 
Maria: Há o quê?... 

 

tenor (14).gif


(não é que eu não tenha ouvido, mas o nome do segundo gelado, não me esclareceu, se é que me entendem)

 

Moço (convicto): Fizz e Cornetto de Pau.
Maria: O quê?!
Moço (agora a gritar): FIZZ E CORNETTO DE PAU!
Maria: Desculpa. Mas Fizz e quê?
Moço: Fizz e Corneto de pau! Está surda!

Vem irritado à porta da sala e:

Moço: FIZZ E CORNETTO DE PAU.
Maria: Fizz e...

WealthyBitterBlackbear-size_restricted.gif


(som de ficha a cair)

Moço: Ah...Perna de Pau.

Mas isso é irrelevante, porque eu já nem precisava de comer gelado. Não depois de uma tal barrigada de riso.

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

19
Ago19

Relato de um fim-de-semana entre amigos e filhos

Maria das Palavras

Eu e o Moço temos pouco amor ao descanso, portanto achámos que o programa ideal para o fim-de-semana era estar com quatro casais de amigos e respetiva criançada. A criançada (ainda) não se superioriza à população adulta, mas só em número, porque em decibéis e na escala de Richter, estão muito à frente.


giphy (16).gif

 

Queridos, chegámos!
Esses nossos amigos já lá estavam desde quinta, tendo aproveitado a ponte, enquanto nós só nos juntamos no serão de sexta-feira. Ou seja, eles já estavam há dois dias "na casa" a conviver uns com os outros, numa terra chamada Bandalhoeira (#truestory), naquele ponto em que já usavam frases como "Estou a ser eu próprio, Teresa" e "Gostaria de expulsar a X porque ela não está integrada no grupo".

 

Só percebemos o estado de exaustão de 8 adultos a lidarem com 4 crianças (mais uma no forno) quando dissemos que tínhamos levado connosco Bolas de Berlim e chocolates Merci e eles reagiram como quem precisa muito de açúcar para aguentar. 

 

tenor (12).gif

 

Os 40 chocolates ainda chegaram a durar 3 minutos. 

 

Ser a tia fixe é ótimo. 
Durante cerca de três minutos e meio. Não há nada que se compare aos sorrisos que arranco a estes meus sobrinhos de amizades e a ouvi-los chamar-me para brincar. Claro que o sentimento de orgulho acalma, quando começo a ouvir "Tenho xixi. Quero fazer xixi CONTIGO".

 

giphy (17).gif

 

Estou a brincar, claro, afinal as crianças são quase mais fáceis de aturar do que nós adultos, cujas luas já não se podem justificar com a idade. E somos um grupo heterogéneo, ainda por cima. Por exemplo: metade do grupo gosta de ouvir kizombas. A outra metade gosta de ouvir música. Não vou dizer em qual me insiro, para ser imparcial neste texto. 

 

Bolas na piscina? Guardo-as todas, Um dia construo um estádio. 
Na verdade o único assunto verdadeiramente fraccionante (eu contra todos, entenda-se) são os jogos de bola na piscina, que eu acho que deviam ser proibidos por lei, sobretudo quando há ananases-bóia que me permitiriam estar tranquila a apanhar sol na piscina se não fosse a necessidade que as pessoas têm de não estar quietas. Na piscina nada-se. No campo, na relva, no raio-que-o-parta joga-se à bola. Pelo menos devia ser assim, sobretudo ao pé de pessoas (eu! eu!) que sofrem do síndrome "vai à baliza" e temem levar com o esférico no nariz sempre que hà bolas meneantes por perto. Tentem lá descansar, enquanto imaginam isto. 


tenor (13).gif

 

Se faz sentido jogar com bola na piscina, quando estivermos noutro contexto em que estejam num campo de futebol, hei-de atirar-lhes baldes de água. Para confirmarem se sempre combina. 

 

Cuidado com a piscina!

Aprendizagens: o senhor que arrendou a casa repetiu MUITAS vezes para termos cuidado com as crianças e a piscina. Só no fim, ao ver o nível de esgotamento dos pais com os petizes, percebi que não tinha a ver com o perigo de a pequenada tropeçar, mas mais o perigo de algum pai atingir o limite e atirar a criança à água. 


É brincadeira, se é que preciso explicar (as pessoas na internet levam tudo muito a sério). Eles gostam tanto das crianças que depois de não fazerem uma única refeição sentados 100% do tempo, até as levaram para casa na mesma - eu também me voluntariei para trazer as que já não precisam de fralda, as outras podem esperar. 

Mesmo positivamente exaustos, o fim-de-semana esteve longe de ser suficiente para matar as saudades. Assim que passar o trauma, vamos pensar em marcar próximo. 

Lá para 2037. Ou quando o Sporting for campeão.

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

15
Ago19

Guia de 4 Dias e picos na Áustria

Maria das Palavras

"O prometido é de vidro", já dizia o outro. Quem acompanhou no Instagram já sabe da minha escapadinha à Áustria, que em tempo útil foram 4 dias bem contados em 3 cidades. Com viagens, são 5 dias. Eu tinha vontade de ir a Viena desde que vi o filme da Princesa Sissi algures na infância e ganhei vontade de ir a Hallstatt desde que tenho esta televisão nova (uma história que também contei lá pelo Instagram).  

 

Viagem Maria das Palavras à Áustria: Viena, Salzburgo e Halstatt em 4 Dias


O Moço não podia tirar férias, este não era um destino de sonho dele, recrutei uma amiga (ela tem candidatura contínua para viagens) que também tinha a Áustria na checklist e partimos num Outonal fim de Julho. Quem diria. 


O nosso roteiro foi o que se segue: 

 

Roteiro de 4 Dias na Áustria - Maria das Palavras

 

Dia 1: Voo de Lisboa para Viena no Sábado de manhã. Chegada a Viena pela hora de almoço. Durante a tarde choveu a cântaros, comprámos um chapéu de chuva e fizemos turismo gastronómico. Fomos ao Palácio de Belvedere (por pouco não nos escapou porque achámos que estava fechado) e fomos engrupidas num concerto de Mozart sem condições (onde ficámos menos de 5 minutos) porque a Ópera - onde realmente queríamos ir - não opera (passo a expressão) em Julho e Agosto. Passámos a noite no Pertschy Palais Hotel que apesar de mais velhito do que aparenta nas fotos (e de não ter ar condicionado) está muito bem localizado e não trocaríamos. Fica mesmo no centro histórico, pelo que só de sair do metro em Stephenplatz, vemos logo a Igreja de São Pedro e as ruas lindas e limpas de Viena. 

 

Palácio de Belvedere - Maria das Palavras na Áustria

 

Dia 2: Já encantadas com Viena, rumámos de manhã à estação de comboios para ir para Salzburgo - AKA onde quem viu o filme Música no Coração se vai passar dos carretos. Para não variar apanhámos chuva. Quem nos manda ir no Inverno? (Ah, espera, era Julho...). A cidade é linda! A minha parte favorita foi a rua Getreidegasse, a rua das lojas, que é estreita com edifícios lindíssimos, mas só atravessar o rio, ver as praças, catedrais, fontes e estátuas, tudo para fazer a pé, vale a pena. Não fizemos nenhuma tour paga da Música no coração, mas deu para delirar com o cemitério da abadia de São Pedro, onde se escondem os Van Trapp, a fonte da Residentzplatz, os jardins de Mirabell e mesmo tirar uma selfie com o gnomo que entra no Do-re-mi. Dispensava ter ido ao forte. O funicular é caro e a pé é um esticão. A vista é bonita, mas a cidade cá de baixo é mais. Ficámos no Star Inn Hotel Premium Salzburg Gablerbräu, by Quality, que fica do mesmo lado do rio que a estação de comboio, também numa zona muito bonita e perto o suficiente de tudo. O alojamento aconselho, cuidado e bem localizado, o pequeno-almoço pago à parte, não. Vão antes comer um Bagel ao Coffee Press.

 

Salzburgo - Maria das Palavras na Áustria

 

Dia 3: Alugámos um carro e fomos passar o dia a Hallstat que é um verdadeiro postal. Que cidade mágica. Fizemos o caminho (pouco mais de uma hora) debaixo de chuva torrencial, mas quando chegamos o tempo deu-nos tréguas - é possível estacionar em parques pagos nos arredores (estacionámos no P1 e deu para fazer tudo a pé). É um daqueles sítios onde as imagens falam por si. Passeámos, mas não subimos de funicular às minas de sal, nem fizemos passeios de barco, já que o tempo nem deu opção. A cidade, que é património mundial da Unesco, tem um percurso pedonal a que chamam Upper Stairs que também permite ver um pouco de cima a perspetiva (mas completo, cansa muito, por isso subimos um pouco e voltámos a descer...ahahah). No regresso tivemos direito a sol para apreciar o percurso que também vale a pena. 

 

Maria das Palavras em Hallstatt, Áustria

 

Dia 4: Regressámos a Viena durante a manhã para explorar o que ainda não tínhamos visto. Como o Hofburg (apesar de termos estado tão perto). Foi a tarde das surpresas. Primeiro, ao passar pelo jardim Burgarten vimos um borboletário e, por impulso, entrámos. Adorei a experiência, eram imensas borboletas enormes (para os meus padrõezinhos) e até valeu a pena suar em bica para estar lá um bocadinho. Depois cometemos a loucura de ir andar até Hundertwasser, as casas coloridas que achei que fossem mais memoráveis e daí para a roda gigante de Viena (faz-se, mas era escusado). Ao chegar à roda gigante, dizem que a mais antiga da Europa, é que percebi que era todo um parque de diversões - o Prater, fundado em 1766! Qualquer coisa entre a Disney e a feira de Maio de Leiria. Não se paga para entrar no parque, só por cada diversão (5€) e foi aí que dei mais graças por ir com a minha amiga em vez do Moço, porque ela alinhou em andar no brinquedinho mais alto, que nos dá uma panorâmica fantástica da cidade (toma lá, miradouro) e nos atira para o chão a 180km/h! AHAH. Deixei os orgãos vitais lá em cima.

 

Viena, segundo dia - Maria das Palavras

 

Dia 5: Esqueci-me de dizer que nesse noite em Viena ficámos no Hotel Mailberger Hof e lembrei-me agora ao descrever a manhã do dia 5 porque foi o melhor pequeno almoço da viagem, num jardim dentro do hotel, com louça digna da Bela e o Monstro, e muitas opções. Também é sobejamente perto do centro, a pender para o lado da Ópera. O voo de regresso a Portugal era por volta da hora de almoço, mas ainda conseguimos picar o ponto mais famoso: o Palácio de Schönbrunn (santinho!) onde morou a princesa Sissi. Tão pequenino que inclui um Zoo no "quintal". Visitámos os jardins gratuitos e subimos ao Gloriette para a melhor vista do palácio, com Viena ao fundo. Dá para passar um dia inteiro, só a passear por lá, sobretudo se perderem o amor ao dinheiro e quiserem ir dentro do palácio e às áreas reservadas do jardim. 

 

Schönbrunn Palace - Maria das Palavras na Áustria, Viena

 

O que gostei mais? Em Viena, o palácio de Belvedere (visto dos dois lados) e o parque de diversões. Em Salzburg, simplesmente passear pelas ruas. Em Hallstat, que exista no mundo - estivemos um bocadinho num parque que o Google chama de Small Island, um bocadinho para lá de toda a comoção de turistas e vale a pena.  

 

E a comida? Alguém pode passar o sal aos austríacos? O especialidade deles é um panado e isso já diz muito. Foi por isso que fizemos para aí metade das refeições em italianos. Mas lá provámos as especialidades.

  • Provámos o Schintzel onde é suposto (no Figlmüller, Viena - notem que há dois, um para quem tem reserva e o segundo para quem não tem) e é um panado gigante bom, mas não passa de facto de um panado. As batatas com molho a acompanhar que apareciam na maior parte das fotos eram boas, mas se estivessem quentes não se perdia nada.
  • A famosa Sachertorte também provámos na origem (café Sacher, junto à Ópera), mas para comer bolo de chocolate com doce de alperce podíamos ter provado em qualquer lado. Nheca. 
  • Em Salzburgo fomos ao famoso Sternbrau e em Hallstatt comemos noutro restaurante tradicional. Em ambos provámos pratos típicos, cheias de saudades de comida tuga bem temperada e acompanhamentos tragáveis. A mostarda salvou tudo. 
  • Uma palavra para vocês: Käsekrainer! A melhor salsicha que comi na vida e isso sim vale a pena. Mete queijo, é estaladiça (quase prima do chouriço) e está tudo dito. É comida de rua, em Viena, e prometo que vão repetir (e querer trazer para casa). A primeira (e melhor) comemos no Wiener Würstl, junto à saída da estação de metro da Stephenplatz, bem no centro.
  • Também comemos Pretzels de rua em Salzburgo, mas...eeehhh. Venha antes a Bola de Berlim da Aipal.

 

O que provamos na Áustria - Maria das Palavras

 

Outras dicas:

- Do aeroporto para a cidade de Viena e vice-versa não vale a pena pagarem para andar no CAT (o serviço expresso). Por mais uma mão cheia de minutos vão no S7 (comboio da OBB) para Wien Mitte e daí de metro ou a pé para onde quiserem. Fica 2,40€ se não me engano + o bilhete de metro, se usarem, que são 1,80€. Já o CAT são 12€ e também vai até ao mesmo ponto.

- Entre cidades, usem o FlixBus sem medo. É uma espécie de bilhete low cost para comboio, que até usa as operadoras usuais onde o bilhete é mais caro (ou seja, vão no mesmo comboio onde poderiam pagar o dobro). Compram online e é só mostrar o bilhete no ecrã do telemóvel ao motorista. Mas melhor ainda, é não fazerem como nós e comprarem os bilhetes com antecedência que fica muito mais barato e aí até podem ir à OBB diretamente (que é tipo a CP, mas vermelha).

- Também pela restrição de tempo, mas porque não fazíamos questão, não entrámos em nenhum palácio e não sentimos falta. Talvez porque assim não sabemos o que perdemos, mas na verdade assim também não nos limitámos às horas de visita - fecham cedo, por isso se fazem questão consultem os horários.

 

 

Et voilá. Espero que daqui retirem alguma coisa de útil, vejam mais fotos no Instagram (há destaque do Stories com o nome Áustria) e se visitarem o país, partilhem comigo!

 

 

Sigam-me no Instagram @mariadaspalavras, no Youtube aqui e no Facebook aqui.

Seguir no SAPO

foto do autor

Passatempos

Ativos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

O meu mai'novo

Escrevo pr'áqui







blogging.pt

Recomendado pela Zankyou

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

subscrever feeds